O Monumento dos Teimosos

Como descrito no Ordenamento das Leituras, nossas listas seguem certa ordem que pode ser rígida ou flexível segundo certos parâmetros. Ainda assim, ignorando nossos constantes avisos muitos decidem confiar demasiado em si mesmos e, ao acreditar que livros de filosofias são análogos a gibis da Mônica e certa literatura fétida, acabam por pagar o preço devido, pois como disse Agostinho, a justiça consiste em dar àquele segundo seu proporcional merecimento.

Aqui elencamos alguns depoimentos de pessoas que passaram por isso; boa parte da filosofia consiste em olhar por cima dos ombros de gigantes, e se seu irmão não acredita em ti, é uma boa idéia remetê-lo ao testemunho dos amigos. Pois sigam o testemunho daqueles que se apresentam como amigos e não pulem as listas por pressa ou vontade de refutar o amiguinho.

 

13 comentários em “O Monumento dos Teimosos”

  1. Tem gente que nem passa pela lógica e quer entender Aristóteles, Kant e companhia limitada. Leva mais tapa que traseiro de meretriz, segue os conselhos de Santo Agostinha, começa humilde, na beira.

  2. Cara, desse jeito! Fui ler A DIALÉTICA SIMBÓLICA do Olavão antes de começar a lista, tenho trauma cerebral até hoje e olha que li só as primeiras 30 páginas. Graças a Deus criei vergonha na cara depois disso e to até hoje digerindo o prolegômeno.

  3. Lembro que no ensino fundamental peguei um livro de Aristóteles da biblioteca da escola. Não toquei num livro durante muito tempo depois daquilo kkkkkkkkk

  4. Pingback: O Ordenamento das Leituras - Contra os Acadêmicos

  5. Ri muito com os comentários hilários da galera no monumento dos teimosos.
    Eu tbm tenho uma experiência traumática pra contar.

    Um dia, me achando o teólogo e filósofo, fui inventar de ler Confissões, de Santo Agostinho. Não passei da página 30. Não que as outras fossem fáceis. Cheguei na trigésima página todo arrebentado. Que surra!
    Juro que simplesmente empaquei num parágrafo que eu li e reli umas 30 vezes e não entendi zorra nenhuma. Tive que resistir e voltar pra lista na ordem.

    E o pior. Do que eu li e achei que tinha entendido com muita dificuldade, não absorvi 99% e não lembro de mais nada do que foi lido. Guardei o livro na estante para ler mais adiante, depois de seguir RELIGIOSAMENTE a lista. E olha que eu já tava com a Suma do Nougué engatilhada aqui pra ler e tava pulando a Gramática Metódica do Napoleão. Voltarei a ela primeiro agora — odeio ler em PDF mas terei que enfrentar isso por um bem maior, kkkk.
    Preciso controlar a ansiedade e a pressa juvenil. kkkkkkk

    PS: Pode me colocar no monumento dos teimosos também se quiserem. hehehe

  6. Sempre gostei de ler, mas sempre Fícção. Sempre fui do tipo da área de Exatas que fica só falando mal do pessoal de Humanas. Até que a “moda” de Política que atingiu o País me fez buscar conhecer mais certos assuntos…Aí já vi listas e mais listas dadas por sites Conservadores diversos, e no meio desse caminho, conheci as listas de vocês. Na minha “gula” intelectual, havia lido alguns títulos da lista. Estou satisfeito com minha compreensão(talvez pelo caso da minha “gula” não me ter feito ter a “petulância” de ler coisas mais altas), mas até pelo fato de também ter visto esse mural, a prudência manda ler dessa forma. Já li “A Vida intelectual” do Sertillanges, e tenho “Conselhos para o trabalho intelectual” do Riboullet(comprado em um impulso pela beleza do título). Então é melhor comprar o segundo da lista e ler na sequencia. Mesmo assim, também já tinha começado ler “Como ler livros” do Mortimer. Conselhos sensacionais…Agora fico em dúvida se prossigo com ele, ou paro… “Só esse”… Por própria conta e risco.

Deixe uma resposta

Spam Protection by WP-SpamFree

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.