O Monumento dos Teimosos

Como descrito no Ordenamento das Leituras, nossas listas seguem certa ordem que pode ser rígida ou flexível segundo certos parâmetros. Ainda assim, ignorando nossos constantes avisos muitos decidem confiar demasiado em si mesmos e, ao acreditar que livros de filosofias são análogos a gibis da Mônica e certa literatura fétida, acabam por pagar o preço devido, pois como disse Agostinho, a justiça consiste em dar àquele segundo seu proporcional merecimento.

Aqui elencamos alguns depoimentos de pessoas que passaram por isso; boa parte da filosofia consiste em olhar por cima dos ombros de gigantes, e se seu irmão não acredita em ti, é uma boa idéia remetê-lo ao testemunho dos amigos. Pois sigam o testemunho daqueles que se apresentam como amigos e não pulem as listas por pressa ou vontade de refutar o amiguinho.

 

8 comentários em “O Monumento dos Teimosos”

  1. Tem gente que nem passa pela lógica e quer entender Aristóteles, Kant e companhia limitada. Leva mais tapa que traseiro de meretriz, segue os conselhos de Santo Agostinha, começa humilde, na beira.

  2. Cara, desse jeito! Fui ler A DIALÉTICA SIMBÓLICA do Olavão antes de começar a lista, tenho trauma cerebral até hoje e olha que li só as primeiras 30 páginas. Graças a Deus criei vergonha na cara depois disso e to até hoje digerindo o prolegômeno.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.